segunda-feira, 14 de março de 2011

PREIA-(A)MAR

Vogo, vadia, ao sabor do teu corpo
Rogo, rendida, teu gosto salgado
Colo a meu colo o vaivém que te encorpo
Afogo-te em fogo o gozo esperado

Navegas, negas-me a maré descente
Cresce e entumesce, o teu mastro à deriva
Segue, sedento e em busca ascendente
Alcança alvíss'ras, costa prometida

Sacio, sadia, a ânsia guardada
Entrego-me em troca ao teu espraiar
Na areia onde ardes em chuva ansiada

Estremeces, feneces ao sopro d’um beijo
Sagras-me sereia e porto d’ amar
Esmaeces, a esmo, em mar desejo...

1 comentário:

Eulalia G. disse...

Opa!!!Isto é saber escrever um belo soneto!!Parabens!!!