quarta-feira, 23 de março de 2011

Na mão do amor

Com a mão no peito, enliço

E prendo ousadia, coerente

De tanto, que me ralo com isso

Já vejo o meu universo diferente

Eu, já não tenho o compromisso

E retalio a passagem, indiferente

E contente, flutuo neste universo

Embalo a minha lua, tão sozinha

Do meu peito, o amor submerso

E fica a sós consigo, coitadinha

Vagueia na solidão, perdida

E da vida, eu já quero tudo

Quero ser feliz e mais querida

E por tudo isto, eu me iludo

E só quero amor na mão da vida.

1 comentário:

Natalia Nuno disse...

Lindo Maria, bom estares por aqui.

Beijinho