sexta-feira, 25 de março de 2011

Lucidez

Branca silhueta ao fundo
das palavras
é a opressa incerteza
da minha lucidez
quando esta por mim passa
pedra
muda
avessa.

Nenhum manto
nem um rio
nem toque de lábios
embrião de espelhos.

Densa superfície de mar
álgida sílaba
cicatriz.


Marialuz

2 comentários:

Kiro Menezes disse...

Nossa! Que coisa linda!!!

Arrepia, ainda que no calor intenso da fricção de almas, a poesia enaltece...

Natalia Nuno disse...

Belo o teu escrever, néctar que só tu sabes fabricar.

Beijinho