sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

MORENA LINDA

Tive a dita de ver, linda morena,
Teus olhos negros; negros d’ encantar.
Tua rósea boquita, mui pequena,
Feita só p’ra cantar, beijar, amar!...

Francamente, eu digo, com que pena,
Te verei partir; a alma a soluçar.
Por numa, nem sequer, conversa amena,
Este amor meu, poder-te, confessar.

Partirás – De mim algo irá contigo,
Deixarás tua neste peito amigo,
A recordação grata e sedutora!...

E mesmo quando, já depois ausente,
Inda, em canção, ouvirei ardente,
A tua voz de linda sonhadora…




(Veríssimo Salvador Correia 1933)

2 comentários:

Natalia Nuno disse...

Lindo, muito lindo este soneto.

Beijinho amiga Olema, parabéns, pela poesia postada, andei lendo e é toda uma maravilha.

Mª Dolores Marques disse...

Olema, um grande prazer ler, saber e conhecer-Lhe o gosto da poesia.
Gostei muito da ideia e da participação

beijo e seba Bem vinda a este espaço