terça-feira, 5 de outubro de 2010

NÃO E O VAZIO QUE ME DÓI



não é o vazio que me dói!
é este cansaço das palavras ditas e não sentidas.
das que se escrevem em forma de balas
do manto da inveja
e do átrio da vaidade
que em tanto me petrifica.
é este querer ver o sol em dia de chuva
querer a brisa no mais profundo silêncio
e ser desarmada nas entrelinhas.
é este ter querido permanecer
e partir num pó rasgado
de não ter sabido ir aquém.

Eduarda

11 comentários:

Nanda disse...

Eduarda,
A tua poesia sempre nos traz o melhor de ti.
Beijinhos
nanda

®wahine disse...

Ola Eduarda

Sê muito bem vinda a este espaço.

A tua poesia é meritoriamente reconhecida pelos verdadeiros amantes da palavra.

Muito obrigada por engrandeceres este espaço

Beijo azul

Eduarda disse...

wahine,

O prazer de participar neste espaço é todo meu.

Agradeço as palavras sobre as palavras.

bj
Eduarda

Eduarda disse...

Nanda,

Grata como sempre pelas palavras.

bj
Eduarda

Eduarda disse...

wahine,

O prazer de participar neste espaço é todo meu.

Agradeço as palavras sobre as palavras.

bj
Eduarda

®wahine disse...

Eduarda pedia-te que desses um titulo ao teu poema. Mais uma vez muito bem vinda.

Wahine foi o nome adoptado antes de Haeremai, contudo ficou no meu espacinho verde.

Beijinho
Fatima

Eduarda disse...

Fátima,

Obrigada por me teres alertado.

bj
eduarda

Mª Dolores Marques disse...

Entre o ir e ficar há sempre um manto que encobra as verdadeiras razões da existência
Um bom poema, uma boa presença, que dignifica quem lê e quem quer estar, ir, ou simplesmente deliciar-se com novas palavras

Deixa-me feliz a sua presença, assim como a de todos os novos que fazem deste espaço um espaço a continuar

Eduarda disse...

Dolores,

A existência sempre por uma ténue luz, por uma fino véu que em tanto nos habita.

Grata pelas palavras que me deixou, esperando poder continuar a usufruir deste espaço que tem tanto e muito para dar.

eduarda

Luiz Sommerville disse...

Eduarda , este espaço "ganhou" novas páginas , de valor insofismável . Quanto ao vazio , porque "não é ele que te dói " , rumo , já , ao não dito , para o sentir intensamente ...
inverto este movimento , estanco-o !

Beijos , bom Domingo

Eduarda disse...

Luis,

Sempre o rumo do vazio que nos impede de retroceder.

bj