sábado, 23 de outubro de 2010

Há todo um mar de sargaços


Sou gaivota em terra
prenúncio de vendaval
Sempre que as águas se agitam
saio por aí voando
na ânsia de liberdade
Sou ave astuta e ousada
trago a lua na plumagem
viajar é o meu sonho
Nunca andei de carruagem
sigo o bando e sei de cor
a rota desta viagem
Há todo um mar de sargaços
nos fios dos meus cabelos
e nada a mim me demove
de desbravar infinitos
Nas asas dos sete ventos

1 comentário:

Luiz Sommerville disse...

Nanda , belo e surpreendente como só tu sabes escrever . És um caso sério na poesia , felizmente !

Beijos