sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

estaca zero

há um precipício a norte da esperança
e outro a sul do sofrimento

algo me faz manter inerte
a meio dos caminhos

a única estrada
permanece
contendo todos os passos dados

existe a dúvida
e a imprecisão doentia

já não domina
a euforia de outros tempos

por tanta indecisão
tudo volta à estaca zero


António MR Martins

1 comentário:

Amanda Carvalho disse...

Oi, tudo bem?
Muito bom o texto, tenho me sentido assim tb...
beijos, se cuida :*