sábado, 8 de janeiro de 2011

DESCALÇA PELA VERDURA

É difusa a luz do meu dia
Suave é hoje meu viver
De amor talvez...de alegria
Ou o prenuncio dum doce morrer.
Contemplo  a lua no céu
A noite que se aproxima
Me afaga o rosto e eu?
Revelo-lhe o amor que me anima.

Me despedi da tarde
Terei outras que o futuro me der
Desta já tenho saudade!
É assim este meu coração de mulher.

Há dias que ando triste, sem sentir,
nem presente nem passado.
Mas trago na alma o pressentir
Dum tempo mais sossegado.
A vida é tão inconstante
Nos confunde sem ter dó
É mar sereno e num instante?!
Nos põe na garganta um nó.

Mas hoje deixo minhas penas
Que é suave o meu viver
Na estrada que trilho apenas
Esperança e amor quero ter.

Hoje, sou criança correndo p'la vida
Descalça pela verdura
Sonho com a infância querida...
Quem sonha é como quem procura!

natalia nuno
rosafogo

3 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Viver sem sonhar é não sentir o próprio viver.
Cadinho RoCo

Bi eL disse...

"Hoje, sou criança correndo p'la vida
Descalça pela verdura
Sonho com a infância querida...
Quem sonha é como quem procura!"

Nos teus sonhos me revejo, Natália.

Agradeço-te por partilhares as tuas palavras.

Beijinho

Marialuz

Natalia Nuno disse...

Grata aos amigos pela generosidade
que senti no vosso apreço

Muito obrigado
Beijinho