terça-feira, 21 de outubro de 2008

O Derradeiro Encontro

Imagem de Bárbara Elias
Sinto-me na presença de uma lágrima
Que se esqueceu que existe
Gemidos contidos
Abrigam-se imunes ao calor das emoções
E perdem-se nas ausências sentidas

Fui puxada pela corrente de um rio que dorme
Já não sei nada
Mas de igual para igual
Há um tudo no nada existente do vazio
Ouço-te e não vejo a saída
O túnel alarga-se ao fundo

Vislumbro uma réstia de luz
Na totalidade do mundo
Aguardo por um novo amanhecer
Sinto que me vou sem ir
Quero-me por inteiro

No derradeiro encontro serei eu..

Mª Dolores Marques

2 comentários:

Fátima disse...

Tento erger-me
Sair do tunel
onde me encontro
E depois? que faço?
Qual o destino?
Perdi o norte...
Não me encontro...
não sei quem sou.
Acordou algo em mim...
Nas trevas
encontrei um monstro
EU
Onde está o meu Azul?
As minhas nuvens brancas?
Não serei EU...
Depois de MIM
Que faço?
O tunel é longo...
a luz escasseia
Estarás á minha espera á saida?
Preciso da tua mão amiga...

Fátima disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.