domingo, 12 de outubro de 2008

Correntes no Pensamento

Imagem retirada da Net Na quietude
Dos caminhos que percorro
Visto as cores
De um arco íris…

Brilho difuso
Grito contido
Voláteis histórias
Em versos soltos
Que voam sem destino

E no adeus
Descubro a chama corrente
O nascer do sol
O cintilar das estrelas
No avanço do mar

Sou nas ondas
Que se gastam nos temporais
Adormeço
Numa praia deserta

Sem nome...
Sou vozes do tempo
Sou lágrimas que flúem
E se perdem
Nos rios
Do meu silêncio

Mª Dolores Marques

3 comentários:

Haere Mai disse...

Maravilhoso! E agora?...vou tentar seguir-te, assim eu tenha um pouquinho de tempo...Se alguém não aparecer antes!
Beijo azul!

Tu Cá, Tu Lá disse...

É sempre um prazer ler-te, por aqui e por aí...

Gosto do que escreves
beijos
Dolores

VÓNY FERREIRA disse...

Quero ir contigo
percorrer esses caminhos
Ver as cores que anuncias
como se fossem foguetes no ar...!

Vamos correr e sonhar!?

Difusas são as hesitações
que nos levam a gritar
silêncios...
E a alterar a nossa história!

Vamos agora?

Os versos,
são as nossas pombas
Os rios,
a sede de ir mais além...
O sol,
o fogo que desperta
Nos nossos corpos gelados.

E nem os maremotos,
inesperados
Afogam a nossa vontade férrea
de permanecer na praia deserta
A olhar para o horizonte.
Vamos ouvir o vento nos montes?
Vóny Ferreira