quinta-feira, 28 de junho de 2012

DESVARIO


DESVARIO
Ruas, passadeiras, multidão, 
passos apressados…inquietudes…
Pressa de chegar! 
Espero o sinal e desespero! 
Fixo os rostos estranhos
ouso atravessar, mas recuo e espero!
Viro aqui, entro ali, saio… 
Volto a caminhar!
E se o percurso estivesse errado? 
E se ficasse sem saber onde?
Sem saber quem sou? 
De onde vim e para onde vou?

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá, casos e acasos da vida.

Folhas de silêncios perdidos
Cujo céus desfazem brilhos
Pés doridos, de percorridos
Em memórias, já sem trilhos!

Mas tudo pode ser de novo colorido
Pintar a vida, o mundo de novas cores
As velhas nuvens darão lugar ao cupido
Que semearão novos campos de amores!

Amor-perfeito não existe
Apenas, se for semeado
Mas deixa-se o que é triste
Para renascer e ser amado!
Beijo

Pétala.

casos e acasos da vida disse...

Lindo poema que me confortou!
Beijinhosss! :))