domingo, 10 de junho de 2012

Assim somos nós amantes vagabundos


Aves libertas nos passos da madrugada
tempos fecundos em ruelas esquecidas

Sonhos renascidos nas mãos amadas
brisas aprisionadas nos peitos arfos

Corpos amando aos pés da encruzilhada
em becos vadios grávidos de nada

Sombras frutíferas d`almas embriagadas
mágicos instantes que se diluem no tempo

Assim somos nós amantes vagabundos

Escrito a 10/06/12

4 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Liliana

Vagueando pelo espaço
O amor não se contém
Precisa de enorme abraço
Daqueles que lhe quer bem.

Corre em poeiras deitadas
Os amores enlouquecidos
Voam em águas furtadas
E jamais serão esquecidos!

Beijo

Anónimo disse...

Obrigada petala pelo teu belo poema, um bom resumo do meu

Beijinhos
Liliana Jardim

G. Rodrigues disse...

Ola, adorei o blog, é mt interessante!!
Se não for pedir mt, vc poderia me seguir, no meu blog??
Já estou te seguindo..
Desde já agradeço
Teh mais =)

Nanda disse...

Lili,
Este poema é uma ode ao amor e à paixão.
Parece-me bem, que é a segunda vez que o comento.
Beijinho
Nanda