quinta-feira, 21 de junho de 2012

DESENCANTO




O sol espelha é meio dia
Olho as bagas vermelhas
da amoreira
O destino destece o que tanto queria
Agora sou só poeira
Quer queira ou não queira!

E quando o sol se apaga
Meu coração naufraga...
Diga eu o que disser
Vivo a vida a recordar
Não sei se é fado ou destino
Ou apenas meu querer
Em qualquer caso... desatino.

O tempo que é agora agreste?
Já foi tempo de prata!
Não há dia que não se manifeste,
na saudade que quase me mata.
A batida das horas é ameaça
Como fugir ao cativeiro?
Assim é o tempo que passa!
Rasgando meu corpo inteiro.

natalia nuno
rosafogo

7 comentários:

Maria Gomes disse...

Olá amiga, um encanto no teu desencanto, como sempre lindo, adorei ler.
beijinhos
mariagomes

PÈTALA disse...

Olá Natália

As luas gemem de desgaste
De melodias e letras perdidas
Por todo um mar de desbaste
Que foram sendo colhidas!

Palavras como facas afiadas
No percorrer de noite escura
Defesa para não ser atacadas
Mas dia raia o sol da doçura!

Nada no tempo importa
Numa vida preenchida
Já se abriu muito a porta
Sinais de que foi vivida!

O amor está em cada canto
Subentende cada palavra tua
Por mais que tapes o manto
Deixa-te a alma toda nua!

Beijo.

Natalia Nuno disse...

Obrigada Maria por te manifestares com agrado.

Bem hajas
Beijinhos, saudades, temos de nos encontrar.

Natalia Nuno disse...

Amigo Pétala

Quero deixar expressa a minha admiração p'la facilidade com que rimas e também pela bela poesia que sempre deixas em comentário.
Acho sempre uma pena deixá-la aqui nos (bastidores) tão bonita que é merecia ter mais leitores, por que não um livro?
Desejo-te sorte, agradeço os comentários que me fazes.

Um beijo com admiração.

PÈTALA disse...

Olá Natália

Nunca buscarei a fama
Tudo em mim é poesia
É o pensar de quem ama
Abraça e beija a cada dia!

Basta-me ter um leitor
Que leia o que escrevo
Nele fica o meu amor
E todo o meu enlevo!

Quando esta porta fechar
O que estará muito perto
Meus versos ficarão no ar
E meu coração por perto!

Beijo

Natalia Nuno disse...

Amigo Pétala

Teu último comentário me emocionou,
não sei que queres dizer com o estar muito perto, mas espero que
escrevas muito, mas muito ainda e nos dês o prazer de ler-te, não só em comentários, mas que espalhes tua Poesia aos sete ventos e assim
seres orgulhoso dela pois mereces.

Beijo da amiga

PÈTALA disse...

Ola Natália.

A vida tem alguns enigmas
Que nunca são desvendados
São pronúncios de estigmas
Que na alma estão cravados…

Beijo