segunda-feira, 4 de abril de 2011

Na cama feita do presente



















Na cama feita do presente
em lençóis imprudentes
ondeiam-se os corpos
olvidados de tudo
e no tudo que nos cerca
metamorfoseamo-nos
em sinfonias de amor
na liberdade de existirmos
em dádivas …..frementes

Nos olhares semi-serrados
de delicados solfejos
a minha boca sôfrega
….. selvática,
anseia teus lábios gulosos
….de querer

Os rostos aprisionados
no silêncio das bocas
lêem-se carentes…. desnudos
num espaço sem tempo de ser

Sentem-se os corpos em voos alados
cobertos pelo entardecer

E a tarde cai fria nos lençóis
….vazios
mas o aroma do prazer
permanece bravio
na alvorada
do nosso próprio viver

1 comentário:

Natalia Nuno disse...

Lindo!Parabéns amiga.

Beijinho