sexta-feira, 5 de novembro de 2010

ADEUS



Adeus...

Nos lábios
mordo o desejo
de te eternizar num beijo,
Nos olhos
apago as velas
rasgadas por vis procelas,
Nos braços
prendo o momento
onde expira o meu lamento...

A ti me prendo!

A Deus eu peço...

Que faça ruir o templo
Onde me ditam exemplos,
Que me cubra da sua dó,
Que não me limite ao pó,
Que me deixe beber do cálice
Deste último e intenso enlace!

A mim te prendo!

Adeus te nego...

E nem o vento, o mar, a morte,
Rasga o abraço eterno e norte,
Que faço guia, estrela e lembrança,
Mesmo que a Vida me leve a Esperança!!

Adeus...

Adeus...

2 comentários:

Eduarda disse...

Teresa,

Mais uma vez me quedo.

fico muitas e tantas vezes sem palavras.

bj

Mª Dolores Marques disse...

"Nos lábios mordo o desejo de te eternizar um beijo"

Simplesmente fantásticas as tuas palavras. Um bom inicio para continuar a leitura e não poder parar.

Obrigada pela participação