terça-feira, 24 de julho de 2012

Quadras Simples...DELÍRIOS



Obra se faz pedra a pedra
com persistência e suor
também a vida só medra
com serenidade e amor...


Nunca fui rica nem pobre
e o tempo sempre correu
ser-ser pobre é se-ser nobre
foi Deus que honra me deu


Livro velho bom de ler
acaba com um bom final
todo o Poeta tem o querer
sentir sua Poesia imortal...


Dormem pássaros ao relento
na minha memória cansada
folhas se agitam ao vento
está o Outono de abalada.


Solto palavras por aí...
criança a fazer de conta
a fazer de conta que morri
que a vida vai a uma ponta.


natalia nuno
rosafogo
imagem da net



6 comentários:

Gisa disse...

São de lírios possíveis...
Um grande bj

Natalia Nuno disse...

Oi Gisa, verdade amiga, de vez em quando surgem umas quadras ao lusco-fusco, quando me ponho a meditar, então lhes chamo delírios.

Grata por comentares
beijinho

PÈTALA disse...

Olá Natália

Na vida tudo são delírios
Que se vão pintando na tela
Vão crescendo como lírios
E depois morrendo com ela!

Á luz do amor, nada é triste
Mesmo em noites de solidão
Ele, tudo ultrapassa e resiste
Até ao último bater do coração!

Que se abram céus em flores
No campo odores a rosmaninho
Para neles florescer os amores
Sempre regados de imenso carinho

Beijo

Pétala

Maria Gomes disse...

Olá amiga, lindas quadras, bem ao teu jeito, beijinhos

Natalia Nuno disse...

Meu querido amigo Pétala,
mais uma vez o meu sincero agradecimento p'las belas quadras que
me deixas. Hei-de levá-las...

bjs boas férias

Natalia Nuno disse...

Olá Maria,
eu gosto de fazer quadras, últimamente não me t~em saído mal.

Beijinhos amiga