sexta-feira, 27 de julho de 2012

No adro d`um corpo

Serás silêncio falado
sonho debruado
de crisântemos alados
crepúsculos perfumados
em cânticos de searas
madrigais nocturnos
em olhos mudos
prefácio d`um livro
inacabado

 Serás água
 sede
d`um jardim escondido
no adro d`um corpo
pólen pairando
na tortura do tempo
 pretérito escrito
nas paginas do vento

Serás fogo rubro
abraço quente
fluindo solto
na aura do pensamento
em mim

Escrito a 25/07/12

1 comentário:

PÈTALA disse...

Olá Liliana

Desde danças a vendavais,
Tudo ocorre nesse espaço!
Com sorrisos, e muitos ais,
Se vive, e morre, num abraço!

Muito transmites em poucas palavras…

Beijo

Pétala