sexta-feira, 25 de maio de 2012

TRAÇO A TRAÇO



Ao desenhar-te
Traço a traço
Compreendo porque meus olhos te soletram e respiram
Faça brisa ou sol pela manhã.

Chuva seremos sempre nós dois
Em pranto pelo nosso (a)mar…
Numa partilha que não se quer p’ra depois
Se a pele pede p’ra se entregar!
Tua boca arrebatada beija o silêncio nu
Das minhas mãos suadas
Pelos teus contornos acesos
Sobrando eu e tu
À palavra amor a dar-se em uníssono…

24.05.12

2 comentários:

PÈTALA disse...

Olá Jéssica

Trovões se fazem ouvir na pradaria
Clarões iluminam o calmo e ténue luar
Vozes entoam bradando novo dia
Buscando nele o encanto desse (a)mar.

Naufragando nessas águas
A um bom porto chegará
Expurgadas serão as mágoas
De que jamais morrerá.

E depois da maré calma
Na quietude dos desejos
De novo alimenta a alma
Com esses cálidos beijos.

Beijo

Maria Gomes disse...

Olá amiga, a beleza nos teus traços de poesia, adorei ler.
beijinhos
mariagomes