domingo, 18 de março de 2012

INSOLITA ALEGRIA



Eu sinto e me extasio
Quando a lua me vem segredar
Que a noite está por um fio
E os sonhos em mim pernoitar.
Sinto a minha alma tocada
Meu coração sossega no peito
O amor acontece lá mais na madrugada
Nesta noite de tempo perfeito.

O sonho toma conta dos meus
sentidos
Num sossego me detenho
Me aconchego em pensamentos
estremecidos
Lembro os rostos que beijei
no aroma da infância...
Nem sei se me acostumarei,
a esquecer a distância.

Dói-me a recordação
que trago no olhar
e no coração,
da criança sentada à sombra do loureiro.
Amada p'las nuvens e p'lo rio
Nascente de luz e cheiro
Que nesta noite do tempo acaricio.

Insólita alegria
Que ainda em mim sobrevive.
Nasci olhando a água, era dia
de tempestade,
do ribombar do trovão.
Desse tempo a saudade...
ainda trago no coração.

rosafogo


natalia nuno

2 comentários:

Jessica Neves disse...

Oh Natália querida

Que saudades de a ler

Seus poemas sempre me encantam

Meus parabéns

Beijinhos *

Jessica

Natalia Nuno disse...

Oi amiga linda, grata por vires ler, estou contente por estares aqui nesta página, assim te posso ler também.

Beijinho