quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

SER DIFERENTE


SER DIFERENTE


Tens sido uma pedra no caminho das serpentes

Que por ti vão passando deixando a sua pestilência

Nem queres ser obstáculo, queres estar presente

Verdadeira e orgulhosa da tua plena coerência



Tu queres paz, queres identidade e muito amor

Queres o que todos querem, precisamente

Mas catalogaram-te, estendem-te o indicador

És isto e mais aquilo, açoitam-te mordazmente



Por ti me curvo, fascinada por fazeres a diferença

Por ficares à parte dos risos e da maledicência

E estares imunizada a toda e qualquer sentença



Coragem, ousadia, certeza… são rios no teu peito

Os sofrimentos que te infligem avivam-te a inocência

E olhas para as nuvens, altiva a todo o preconceito


2 comentários:

Eduarda disse...

Um poema que me tocou no mais profundo, pois de diferenças entendo bem.

ser diferente é gritar que também é gente.

bj

Anónimo disse...

Quanta sensibilidade, muito belo.

beijo amiga

natalia nuno