domingo, 5 de dezembro de 2010

AVIS-RARA

Abre as tuas asas, meu amor
Dentro das tuas asas entrarei
E o abraço das tuas penas macias
Destruirá todo o meu desamor.
.
Leva-me nos teus voos ao além
Às terras dos deuses de marfim
Para fruir os aromas exultantes
E ver as cores bizarras e ardentes.
.
Terras virgens da inveja e do ódio
Onde a transparência é imperativa
A alegria tem o esplendor do carmim
E o amor é o pão da nossa fome
.
Abre as tuas asas, meu amor
Preciso tanto de descansar
De sair deste inferno incessante
De agarrar-me às tuas asas e voar!
.
Marisa Soveral

3 comentários:

Princesa115 disse...

Precioso, me he gustado mucho.
Volar y poder dirigirnos hacia donde más deseamos.

Enhorabuena

Un saludo

Mª Dolores Marques disse...

Gosto de a saber por aqui

beijo

Natalia Nuno disse...

E eu de te ler Marisa, a tua poesia tem suavidade, é maviosa,
me sinto voando quando te leio.

Beijinho, bom estar aqui contigo.