quinta-feira, 2 de julho de 2009

TRAÇOS SEM LUZ…


Sentado no escuro…
Em ruidosas folhas que vertes…
Caído para lá dum velho muro…
Abro os olhos inseguro…
Vejo teus traços inertes..
Sigo teu rosto celeste..
Tua lágrima em meu rosto.. cansada…
Tua fé enlevada…

Porquê formatar o relevo…
Que nasce em segredo…
Se cada vez que tropeço…
Desnudo, um toque te peço…
Frio, quente, a esmorecer…
Mas… um sinal de meu viver…

Um todo paralelo, em que a realidade é alheia...
Em que procuro a sabedoria da inocência...
Em que procuro reflexos negros de ausências...
Um grito do Olimpo, uma homérica sereia...
A escuridão na clarividência...
Várias explicações inexistentes...
Para a minha inexistência…

Existo em átomos perdidos no Universo…
Existo em tua morte…
Existo no reflexo dum gesto…
Numa gota que se esvai…
Num esgoto serpenteado…
Que a luz nunca viu…
Círculo de água tapado…
Nem sei se existiu…



DARKRAINBOW

1 comentário:

Vagabundo Social disse...

Interessante este blog, por ter várias pessoas a postar, com estilos diferentes... A música calma, as fotos, a imagem de fundo, bem escolhidas... tudo isso aliado aos poemas dá uma ideia de serenidade e até de magia.. Parabéns.