quinta-feira, 16 de julho de 2009

Horizonte indefinido

…No horizonte indefinido
Calados no tempo
Agitados numa suave brisa

Aprender em dualidade
Num universo cósmico
Transcendente e veloz

Na ausência de temores
Percursos encontrados
Entre versos e letras

A mão na mão
Os olhares sedentos
De palavras
Na patilha de sorrisos

O sonho tatuado
No coração
Onde o espírito
Penetra na força do teu olhar…

1 comentário:

comme des habitudes disse...

olá desculpa a invasão que lindo poema. tou procura de blogs interessantes. achei o seu ótimo!!!
abraços.. se quiser pode me seguir..

leandro cardoso.