domingo, 8 de janeiro de 2012

2º Antologia Tu Cá, Tu lá – A Força da Amizade


Quando a poesia se despoja do sussurro das palavras
confinadas à geometria enigmática da solidão do poeta
e veste o colorido mistério que incendeia na luz dos rostos
a transparência cristalina de mil sorrisos partilhados;

a amizade pode ser o mais belo dos poemas declamados


Quando a poesia rima com a fraterna respiração dos sentidos
e um sopro de sílabas abraça a sintonia fugaz dos corpos,
não importa de que lado da margem rugem as vogais do vento
nem quão distante e sinuosa é a métrica dos caminhos;

a amizade será a candeia que irá alumiar o resto da viagem


Mesmo que o sol se esgote no ardor obliquo das noites
e as asas exaustas, sigam, esvoaçando rente ao chão,
podemos sempre, num impulso ousado de mariposa,
cerrar os olhos e ascender ao mais inacessível dos Olimpos

___________________________________________________________

Foi para mim um enorme prazer ter ido ao Porto e ter conhecido tanta gente, nesta que foi a minha estreia nestas andanças. As palavras acima, são a minha forma de agradecer a todos o carinho dispensado. Até breve.

Grande abraço

Runa

2 comentários:

wahine® disse...

Foi maravilhoso conhecer-te e conhecer-vos.

Obrigada por terem aceite fazer parte deste projecto literário.

Beijo azul

Teresa Teixeira (Tera Sá) disse...

Respirei este poema como palavras do meu próprio ar. Obrigada.

Abraços e até uma próxima!